Para assessorar é preciso Planear

13 Janeiro, 2017 . Por: Ontime

Quem me conhece sabe que, a minha máxima na definição de gestão é: A regra básica da gestão é a planificação. Para resultados satisfatórios, é preciso planear. Ajuda, também, na prevenção dos riscos.

Planear, nada mais é do que estabelecer prioridades, focarmo-nos no que realmente constitui relevância e nos objectivos, afinal, há um desafio a ser superado. Fomos desafiados a dar o nosso melhor, existe alguém, visível ou invisível, atento aos nossos passos e actos. No caso da assessoria de imprensa, um bom planeamento ajuda na definição do público-alvo do nosso assessorado, a selecção dos canais de comunicação e quais os prioritários, possíveis pautas e um cronograma de execução / Plano de acção realista e efectivo.

Óptimo momento para exercitar a matriz das prioridades. O que realmente é IMPORTANTE, o que NÃO É IMPORTANTE. O que é URGENTE e o que NÃO É URGENTE. Ajuda, muito. Aliás, ainda uso até hoje.

Matriz Elsenhover.

Ao planearmos, não estamos apenas a facilitar a vida do nosso assessorado mas, a nossa também. Trata-se de uma organização da nossa agenda, melhorando assim a produção das matérias divulgadas. Porém, é importante ressaltar que cada cliente terá uma série de necessidades próprias e é dever do assessor personalizar o seu plano de acção ou seja, “costurar um fato a medida de cada cliente”.

Mais do que planear em ficheiro Excel,   Power Point ou Word temos de ter noção a nossa responsabilidade. Nos conhecermos antes de tudo, sim, conhecer às nossas fraquezas e fortalezas pois, elas também serão determinantes na planificação e execução de uma ação. Em ambientes de agências, o trabalho em equipa, na elaboração de um plano, funciona muito bem.  Na dificuldade, partilhamos com o colega com mais experiência.

Alguns pontos que considero bastantes relevantes ao desenharmos um plano de acção de assessoria de imprensa:

Pensamento Estratégico: Ser assessor não é apenas executar. Mais do que um dever, é uma obrigação do assessor de imprensa pensar estrategicamente. Quais os temas mais relevantes. Quais os timmings dos meios. A quem “vendemos” um exclusivo. Quais os dados mais relevantes. O que atraio os medias. Identificar às oportunidade e medir a tensão do momento.

Base de Dados Actualizada: Mais do que saber o que se quer vender, é importante saber a quem vamos vender. Imagine-se ligar para um jornalista e o mesmo dizer “olha já não estou a trabalhar para este jornal, há muito tempo”. Estabeleça em si mesmo metas, regras, Exiga de si tempo para actualizar a sua principal arma: Contactos. E outra muito importante, são às relações e saber questionar a origem das coisas

Gestão do Tempo: Os timmings são uma peça essencial na O mais importante, no entanto, é conseguir coordenar tudo isso. A melhor forma de fazer isso é utilizando uma metodologia de gestão de tempo. Ela vai te ensinar a priorizar, cumprir tarefas, celebrar, descansar e dar conta de tudo, ou quase tudo.

Reports: Constituem etapas normais de qualquer assessor de imprensa. Ter uma forma de registar o que foi desenvolvido naquele dia ou semana, quais clientes foram trabalhados (no caso de agencias), e os constrangimentos. Devemos olhar para os registos como um aspecto positivo, também, pois ajudam-nos a determinar onde precisa-se de maior investimento.
Por cá, temos seguido isso. Pois, para além do plano de trabalho, a minha equipa domina o plano de assessoria de imprensa e, orgulhosamente tenho disto que “estão craques”, mas aperfeiçoem dia após dia. Mas, algumas vezes, a nossa personalidade e carácter ofusca este lado. Sobressai mais e nos esquecemos das “regras”. Não nos esqueçamos que, a qualquer momento, podemos ser cilindrados por um cliente com a capacidade de gerir melhor o seu tempo.

#beon @Carolina Barros